República Centro-Africana: Salesianos forçados a fechar escola devido a ameaças de grupo armado

ROMA, 23 Out. 14 / 02:22 pm (ACI/EWTN Noticias).- O grupo “Antibalaka” nasceu em Bangui (República Centro-africana) para proteger a população da guerra no país que já leva um ano e meio. Porém, agora se dirigiu contra a mesma população. “está cometendo saques e estupros, e nos obrigou a fechar as escolas em Galabadja e Damala”, advertem os salesianos que trabalham na zona. Ambas as obras decidiram abrir as portas das escolas às crianças e jovens, para que não perdessem mais horas de formação. “Ir para a escola lhes ajudava a ter uma rotina, hábitos e esquecer a violência em que vivem”, explicam os salesianos em uma nota enviada à agência vaticana Fides. “Há barricadas nas ruas, assim como muitas armas em circulação e as pessoas não saem de suas casas por medo”. Atualmente as missões salesianas em Bangui acolhem mais de 1.400 pessoas deslocadas pelo conflito. A violência desencadeada nos últimos dias impede aos religiosos de saírem da missão e não podem chegar nem mesmo as ajudas humanitárias. Desde o início da crise fugiram de suas casas mais de um milhão de pessoas; mais de 3.500 crianças foram obrigadas a se unir a grupos armados e mais de 2,6 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária urgente. http://www.acidigital.com/noticias/republica-centro-africana-salesianos-forcados-a-fechar-escola-devido-a-ameacas-de-grupo-armado-39678/